Bitcoin atinge novo recorde de preço em dezembro de 2020

 

Tendências do criptomercado influenciam o aumento do preço do criptoativo que agora chega ao valor recorde de US$ 19.892


Seguindo a tendência dos últimos meses, o criptoativo mais popular do mercado vem atingindo marcas expressivas em sua história. Desta vez, o preço do Bitcoin chegou oficialmente em um novo recorde. No dia 01 de dezembro o ativo alcançou incríveis US$ 19.892 após quase três anos, de acordo com dados apurados e pesquisados pela Coinbase e Tradingview.


O BTC sofreu com uma queda na última semana, mas isso não interferiu na recuperação deste final de semana. No dia 30 de novembro o Bitcoin ultrapassou a marca de US$ 19 mil, atingindo seu ponto mais relevante em algumas bolsas. Com isso, os estudos apontaram que existem três tendências que impulsionaram o aumento do BTC de US$ 3.600 em março para mais de US$ 19.892. Entre os fatos dessa mudança estão o aumento da demanda institucional, a redução da pressão de venda e a resiliência do Bitcoin ao longo de 2020.


O primeiro fator relevante para ser levado em consideração é que os dados sugerem que a demanda institucional impulsionou a alta do ativo. Na observação de análises de dados na rede, é explícito que a demanda das instituições por Bitcoin aumentaram rapidamente. Em novembro, a Grayscale registrou as entradas líquidas mais altas de todos os tempos, e o mercado de futuros de Bitcoin da CME viu sua quantidade de contratos em aberto subir perto de US$ 1 bilhão, um número mais do que relevante.


Outro fator predominante nesse aumento do preço é o baixo influxo de “Whales”. Seis meses após o halving de BTC, foi registrado uma baixa pressão de venda das “Whales” em novembro. Em outras palavras, a quantidade de Bitcoin enviada para bolsas de investidores de alto patrimônio líquido tem diminuído consistentemente ao longo do mês, uma consequência clara desse baixo influxo.


Por fim, a resiliência do BTC é um grande fator nessa alteração recorrente em 2020. Em 13 de junho deste ano, o JPMorgan disse em uma nota que a recuperação do Bitcoin da crise de março mostrou que ele tinha poder de permanência no criptomercado. O reconhecimento da resiliência do Bitcoin pelo maior banco de investimento dos EUA funcionou como um propulsor de confiança, especialmente para investidores institucionais.  


O Bitcoin é e continuará sendo por muito tempo a referência em criptoativos no mercado, esses acontecimentos acabam por confirmar a análise. Os fatores que levaram o BTC a esse patamar são bem evidentes e compreensivos, ainda mais em um ano de muita instabilidade em outros campos sociais e monetários. O Bitcoin vem fazendo sua parte no setor, continuaremos acompanhando suas alterações de preço e a forma como isso irá impactar o setor nos próximos meses.


Fonte: Cointelegraph