Você sabe o que é halving do Bitcoin e qual é sua definição?


Primeira redução no criptoativo ocorreu em 2012, prometendo mais valorização no próximo halving, programado para maio deste ano


Dentro do mercado financeiro digital, algumas palavras podem passar uma definição e concepção direta por causa de seu “nome”, mesmo que de maneira complicada em algumas circunstâncias. O halving caminha por isso, consistindo no ato de reduzir pela metade, como assim é traduzido de forma literal. Mas, como esse nome/ação se aplica ao mercado digital? O que realmente o halving quer dizer quando colocamos o Bitcoin no assunto?


Primeiramente, é importante citar o fornecimento de Bitcoin como finito, ou seja, logo após as 21 milhões de moedas digitais geradas, o processo irá parar. Atualmente existem cerca de 18 milhões unidades de BTC em circulação, representando aproximadamente 85% do limite total. Mesmo assim, existe um detalhe no processo, a cada 210 mil blocos minerados, é realizado um halving do Bitcoin. Por esse motivo, produzir novas moedas se torna mais complicado.

O protocolo, como assim é chamado, reduz pela metade a recompensa do bloco gerado. Quando ocorre o halving do Bitcoin, os mineradores consequentemente recebem 50% menos quando verificam as transações. Lembrando que, a recompensa recebida é a quantidade de criptomoeda que os mesmos mineradores recebem quando validam um novo bloco.

O próximo halving de BTC está programado para o dia 18 de maio de 2020, porém, a data de realização não é certa. O motivo disso é em relação ao tempo necessário para gerar novos blocos. Em média, a rede produz um bloco a cada dez minutos. O último processo de halving pode ocorrer no ano de 2140 e, quando isso acontecer, os profissionais responsáveis não receberão recompensas em bloco, mas manterão a fonte restante de receita que coletaram durante o tempo de trabalho.

Uma ansiedade no mercado financeiro digital é inevitável, nos últimos protocolos, o preço do Bitcoin subiu em cada halving. Lembrando que, para essa “conta” fechar, o processo depende da relação de oferta e demanda. O criptoativo reduz pela metade o fornecimento, apresentando escassez, mas se houver demanda o preço pode aumentar. Datas como 28 de novembro de 2012, dia do primeiro halving, em que o preço subiu de US$ 11 para US$ 12 e continuou a subindo, chegando a US$ 1.038  mil em 28 de novembro de 2013, é uma prova dessa possibilidade.

Por motivos como este, o halving é um acontecimento muito esperado, ainda mais por tornar a emissão de Bitcoins mais escassa. Mesmo assim, a mineração segue sua rotina, mudando apenas o prêmio por bloco minerado, após o halving do mês de maio. Esse processo promete tornar o Bitcoin mais forte, preservando o valor de mercado, mas aumentando seu preço.

Fonte: Cointelegraph